Touch (2016)

Técnica: Fotografia analógica

O ato de tocar alguém neste projeto é uma representação estética da intimidade criada entre o fotógrafo e o fotografado durante a realização de um retrato. Ambos tornam-se um por alguns instantes; parceiros conectados somente pela câmera. A confiança entre os personagens é necessária, uma vez que um retrato é um acordo mutuo: é uma conexão de troca.

Assim, comecei a investigar o processo de produção do retrato. Com composições planejadas e dirigidas por mim, como aconteceria em qualquer ensaio, usei luz natural e uma câmera analógica 35mm para abordar pessoas desconhecidas, aleatoriamente na rua.

O resultado final desta experiência pode ser interpretado de acordo com as vivências e sentimentos individuais de cada um. Do meu ponto de vista, a experiência foi desafiadora e ambígua.

Trabalho de conclusão  do curso de desenvolvimento de portfólio na faculdade de arte e design Central Saint Martins, em Londres.